fbpx

Single Blog

7 passos para você ter uma casa sustentável

Drywall, Iluminação, Piso Vinílico, Rodapés, Steel frame

Com tantas mudanças climáticas, desmatamentos e a redução de recursos naturais pelo mundo, a preocupação das pessoas com o meio ambiente está cada vez mais forte.

Percebemos também que, a necessidade na busca por ações sustentáveis é ainda mais fundamental agora, desde a redução do consumo de energia em casa à escolha dos materiais de construção utilizados para erguê-la. Assim, torna-se possível reduzir o impacto no meio ambiente e ainda pode-se aproveitar os recursos naturais utilizados no dia a dia.

E hoje, entramos na Semana Mundial do Meio Ambiente, um movimento que busca reforçar formas de minimizar os problemas que já agravam nosso planeta e soluções que ajudam a reduzir o impacto ambiental.

Pensando nisso, preparamos essa publicação sobre 7 passos para se ter uma casa sustentável e saiba como você também pode ajudar a tornar seu espaço mais consciente e a favor dessa causa.

1. Uso de água necessário

Desde o início da obra até o dia a dia dos moradores, é fundamental que o consumo de água seja apenas o necessário para o conforto e bem-estar de quem viver nesse lugar. Para que esse consumo seja consciente e reduzido, construir uma casa com materiais de construção à seco é uma solução sustentável e ecologicamente correta, já que a economia de água é de quase 90%. 

Os sistemas mais indicados para essa construção são o drywall e steel frame, que unem chapas de gesso acartonado leves com perfis metálicos. A combinação desses materiais oferece uma obra mais rápida e limpa, além de proporcionar maior conforto térmico, versatilidade e praticidade.

2. Consumo de energia reduzido

O uso de energia é um dos consumos que mais geram impactos negativos na atmosfera, por isso, é importante que a casa seja projetada com medidas energicamente eficientes e sustentáveis. Economizar eletricidade é uma atitude que pode causar enorme diferença ao planeta e às gerações futuras.

Para isso, você pode começar pela escolha das lâmpadas utilizadas em casa. Quer uma opção que gera mais eficiência, longa duração e não irá prejudicar o meio ambiente e nem sua conta de energia?

Escolha as lâmpadas de LED, pois elas consomem 80% a 90% menos energia que as incandescentes e também oferecem vida útil prolongada, que pode chegar a 50 mil horas. Além disso, a tecnologia LED não contêm substâncias potencialmente tóxicas, diferente das as incandescentes (que têm venda proibida) e as fluorescentes, que possuem vapor de mercúrio.

3. Materiais recicláveis 

Usar matérias primas certificadas é um ponto importante a ser observado, pois a origem e as estruturas precisam ser recicláveis, de fácil manutenção e reaproveitamento. Assim, sempre que você for reformar a casa, poderá aproveitar os materiais e preservar os recursos naturais, dando a eles outros significados e utilidades.

Esses são alguns dos cuidados básicos que devemos ter ao construir uma residência verde.

Outra preocupação igualmente importante é com o descarte correto do que não for utilizado na obra. O aço, por exemplo, é uma opção viável por ser mais fácil de reciclar do que o concreto.

O gesso acartonado é outra ótima opção, já que produz a mínima quantidade de resíduos em uma obra e assim, gera menos entulho e acúmulo de materiais descartados. O importante para escolher o material é entender a compatibilidade e vida útil de cada material de acordo com o uso.

4. Ambientes saudáveis 

É importante pensar nos materiais utilizados para a construção e no consumo reduzido dos recursos naturais, mas além disso, também é necessário escolher formas de tornar os ambientes da casa confortáveis. Janelas para ventilação são importantes para ajudarem no controle da umidade e tornarem a iluminação natural da casa melhor.

Em relação ao calor ou frio dentro do ambiente, o ideal é escolher uma solução sustentável que auxilie no conforto térmico, como o piso vinílico. Além de ser um material reciclável, ele proporciona maior conforto nos ambientes, seja em períodos climáticos muito quentes ou muito frios.

5. Cuidados com a mão de obra

Sustentabilidade vai muito além da relação casa-natureza. É importante que esse envolvimento também se amplie à relação que temos com as pessoas, pois todos são capazes de influenciar positivamente nas ações à favor do meio ambiente.

E para se ter uma casa oficialmente verde, é preciso estar atento à qualidade e bem-estar dos profissionais que trabalham na construção dela. Os direitos na segurança dos trabalhadores e as boas práticas da realização da obra, tornam essa relação ainda mais produtiva e consciente.

6. Localização consciente

Antes de pensar nos materiais e nas medidas que podem gerar menos impacto ao meio ambiente, é fundamental  projetar uma casa, pensando no impacto que ela poderá gerar na região que será localizada.

Por isso, é recomendado que o arquiteto e o proprietário avaliem bem o espaço em que a obra será construída,  pensando nas influências climáticas da região, nos lugares em que existem reservas ambientais, nos biomas locais e em como essa construção pode interferir na natureza.

7. Decoração interior 

Após a preocupação de uma construção sustentável, é importante que a decoração também carregue um conceito sustentável mais amplo, desde a compra de produtos que não impactam o ambiente negativamente ao reaproveitamento destes materiais.

Algumas opções de materiais que seguem essa inciativa, são os produtos da Santa Luzia Molduras. De rodapés a revestimentos, o processo inovador dessa marca transforma resíduos de poliestireno (isopor) e poliuretano em perfis altamente resistentes.

Assim, cada produto torna-se reciclável e sustentável. Além de serem fáceis de aplicar, são imunes a cupins e podem ser usados em ambientes úmidos – ao contrário dos rodapés de madeira, que estufam com a umidade.

Gostou dessas dicas? Esperamos que elas possam te ajudar a pensar formas efetivas e conscientes de ajudar o meio ambiente, com soluções sustentáveis e que promovem menos impacto na natureza. Conte com a gente para te ajudar nesse projeto!

Voltar ao topo